terça-feira, 22 de setembro de 2009

AULA: AMOR A NATUREZA- RESPEITO AOS ANIMAIS- OBEDIÊNCIA

PRECE INICIAL
Objetivos desta Aula:
Respeito aos animais , amor à natureza e obediência.
Primeiro momento: Narrar a história de JOÃO JILÓ.


História:


Há muito tempo, numa fazenda não muito longe daqui, morava um menino chamado JOÃO JILÓ. Ele era muito levado, malcriado e teimoso. Gostava de fazer maldades com os animais.
Um dia, ele acordou e disse à sua mãe:
- Mãe, hoje eu acordei com uma vontade grande de caçar passarinho. Eu vou sair e só volto quando conseguir pegar um bem bonito, gordinho e que dê para fazer um ensopado bem gostoso, viu?
A mãe de João Jiló lhe pediu:
- Mas, meu filho, eu já cansei de lhe falar que não se deve caçar passarinho! Olhe, a natureza é muito boa, mas, quemdo nós maltratamos, ela nos castiga. Cuidado João. Fique quieto aqui. Deixe de ser teimoso!
Mas João Jiló já estava resolvido. Pegou seu bodoque e saiu caladinho. Quando chegou à floresta, logo ele viu um passarinho estranho. Muito diferente mesmo. Um pouco maior que os outros passarinhos e todo colorido.
João pensou alto: “ Que sorte eu tenho!”
E pegou uma pedra, colocou no bodoque, mirou bem o passarinho. Quando ele ia atirar, o passarinho cantou:
- Não me mate não, João Jiló!
Eu vim pra cantar, João Jiló!
Sou bichinho do mato, João Jiló!
Para piar.
Mas não adiantou, João Jiló atirou e acertou a cabecinha do passarinho, que caiu no chão com as perninhas para cima.
Então, ele pegou o passarinho, colocou dentro da sacolinha e foi para casa. Quando chegou em casa, foi direto para a cozinha. Começo a depenar o passarinho, quando ele cantou:
- Não me depene não, João Jiló!
Eu vim pra cantar, João Jiló!
Sou bichinho do mato, João Jiló!
Para piar.
E adiantou? Não, aí que João Jiló tirou mesmo as peninhas do passarinho. Quando o passarinho ficou todo peladinho, João Jiló acendeu o fogo e já ia sapecá-lo, mas ele começou a cantar:
- Não me sapeque, João Jiló!
Eu vim pra cantar, João Jiló!
Sou bichinho do mato, João Jiló!
Para piar.
João Jiló nem ligou! Sapecou o passarinho no fogo. Depois levou o coitadinho para a pia, pegou uma faca enorme para partir o passarinho, mas ele cantou:
- Não me parta não, João Jiló!
Eu vim pra cantar, João Jiló!
Sou bichinho do mato, João Jiló!
Para piar.
Ele partiu o passarinho assim mesmo e o lavou bem lavadinho, quando ele ia temperar o bichinho, ele cantou:
- Não me tempere não, João Jiló!
Eu vim pra cantar, João Jiló!
Sou bichinho do mato, João Jiló!
Para piar.
Depois, João Jiló, pegou uma panela, colocou óleo, pôs para esquentar, mas, quando ia fritar o passarinho, ele cantou:
- Não me frite não, João Jiló!
Eu vim pra cantar, João Jiló!
Sou bichinho do mato, João Jiló!
Para piar.
Ele fritou o passarinho, pegou um prato, e, quando ia comê-lo, o passarinho cantou:
- Não me coma não, João Jiló!
Eu vim pra cantar, João Jiló!
Sou bichinho do mato, João Jiló!
Para piar.
Ele comeu o passarinho todinho, de repente, a barriga de João Jiló começou a inchar...a inchar... e le ouviu uma voz vinda lá de dentro\;
- Eu quero sair daqui, João Jiló!
E João Jiló respondeu:
- Então saia pelo nariz!
E o passarinho:
- No nariz tem meleca.
E João Jiló:
- Então saia pelo ouvido.
E o passarinho respondeu:
- No ouvido tem muita cera.
E João Jiló:
- Então saia pela boca.
E o passarinho respondeu:
- Na boca tem saliva.
E a barriga de João Jiló foi inchando, foi inchando, foi inchando e... BUM! Explodiu.
O Passarinho saiu voando todo contente e cantando:
- Eu sobrevivi, João Jiló!
Eu vim pra cantar, João Jiló!
Sou bichinho do mato, João Jiló!
Para piar.
João Jiló ficou lá com a barriga toda aberta. Tiveram de chamar o médico, que costurou a barriga daquele menino teimoso.
João Jiló aprendeu a lição. Nunca mais desobedeceu à sua mãe nem caçou passarinhos!
Segundo Momento: Conversação
Vocês gostaram desta história?
O que vocês acharam da atitude de João Jiló?
O que vocês tem a dizer sobre a desobediência de João Jiló para com sua mãe?
Devemos respeitar todos os animaizinhos
Falar que devemos ter muito amor à natureza
Terceiro momento: Atividades
Pinte e recorte as cenas- Coloque-as em ordem colando no seu caderno






















Vamos montar o João Jiló?





















PRECE FINAL
Observação: Aula adaptada da Coleção Baú do Professor

3 comentários:

  1. Oi Yeda
    Parabéns pelo teu blog, está lindíssimo.
    Vou divulg=a-lo no meu grupo de Evangelização Espírita do Yahoo.
    Muitos beijos,
    Vera Stefanello
    www.freewebs.com/vrstefanello

    ResponderExcluir
  2. Maravilhaaaaaaaaaaaaaa, amei estava sem saber como dar esta aula, pois sou nova como evangelizadora, você está de parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Yeda, fiquei impressionada com a história. Me causou uma sensação muito ruim. A narração foca no personagem principal que, além de desobedecer a mãe, dizer que vai fazer um ensopado (!) com um animal. É sádico ao realizar seu intento, mesmo com os pedidos do pobre animalzinho. A narrativa cita cada etapa da morte do bichinho, as cenas que são criadas mentalmente, para mim, que sou adulta, foram repulsivas, imagina então para uma criança? Será necessário tanto realismo? E, ao final, quando eu esperava que o arrependimento viesse pela conscientização do ato cometido, não é isso que acontece. Fica claro que o João se arrepende após ver a sua própria barriga aberta...

    ResponderExcluir

COMENTE!!!!!