quinta-feira, 17 de setembro de 2009

HISTÓRIAS INFANTIS

PATINHO FEIO















Um dia, na fazenda de um bondoso camponês, nasceu um patinho muito estranho da
ninhada de mamãe PATA.













Na verdade, ele mais parecia um monte de plumas cinzas com um enorme bico, todo
desengonçado. Os outros patinhos da mesma ninhada começaram, então, a desprezá-
lo e nem mesmo mamãe PATA o quis mais.
Pela manhã, quando mamãe PATA levou os filhotes ao lago para um mergulho, todos
os animais da fazenda zombaram dele e o evitaram.












Recebendo bicadas, empurrões e patadas dos outros animais, não restou ao pobre
patinho outra alternativa a não ser fugir da fazenda.
Até o cão, como último adeus, perseguiu-o latindo. Assim, o patinho correu em direção
ao bosque, parando onde a folhagem era mais espessa. Sentiu-se muito triste e
começou a chorar.













Os dias se passavam lentamente, e o patinho continuava a caminhar pelo bosque à
procura de um lugar seguro e quentinho.
Com a chegada do rigoroso inverno, o patinho teve que se cobrir com folhas secas
para não morrer de frio.













Depois de andar muito, encontrou abrigo na lenha amontoada de uma casa e ali
Permaneceu encolhido, até que a dona o descobriu.
Naquela pequena casa moravam, junto com a mulher, um gato e um cachorro, que
Não gostaram da chegada do pobre PATO.













Com dó, a mulher o recolheu e o alimentou com comida quentinha e gostosa.
Mas os dois animais da casa, observando o PATINHO, decidiram que aquele feioso
não poderia morar com eles.













O gato, com ciúmes das atenções dadas ao Patinho, derrubou um saco cheio de
farinha, para que a dona da casa culpasse o bichinho e o expulsasse dali. E o plano
do gato não funcionou. Ao ver tamanha confusão, a dona da casa saiu correndo atrás
do patinho, que, assustado, fugiu de novo para a floresta.













Quando a primavera surgiu, toda a natureza era um esplendor. Um dia o patinho feio
foi a um lago onde viu uns cisnes lindos que o convidaram a se aproximar, ao entrar
água, viu o seu reflexo, e percebeu que era igual a eles. Aí finalmente compreendeu
que havia encontrado uma família que nunca o abandonaria.


Com um majestoso vôo, junto aos outros cisnes, sobrevoou a fazenda onde nascera e,
sem rancor, saudou de longe mamãe pata e seus irmãos, que ficaram espantados por
ver como ele estava belo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

COMENTE!!!!!