segunda-feira, 21 de junho de 2010

Aula: BONDADE

Módulo III: Conduta Espírita- Vivência Evangélica
IIIUnidade: Relações Sociais
Subunidade: BONDADE
Prece Inicial:
Objetivos Específicos:
• Dizer que praticar o bem é agradável a DEUS e produz alegria.
• Citar alguns atos de bondade
Conteúdos:
• A bondade é o amor que se desenvolve.
• Deus abençoa sempre os que fazem o bem.
• Melhor meio é melhorar o sofrimento dos pobres e aflitos. Deus ama a simplicidade em tudo.
• Fazer o bem não é somente ser caridoso, mas ser útil quando necessário.
• Ser bom é ajudar, amparar, respeitar todas as pessoas, procurando ajudar dentro de suas possibilidades.
Primeiro Momento:
• Perguntar para as crianças o que é uma FLAUTA.
• Ouvir as respostas e mostrar uma flauta ou ilustração.
• A seguir dizer-lhes que ouvirão uma história de um coelhinho que adorava tocar flauta.
Segundo Momento:
Narrar a história: A FLAUTA DO COELHO com o auxílio das gravuras(anexos). Poderá utilizar a técnica da interferência nas expressões: “Gorda, muito gorda; magra, muito magra”
História: A Flauta do Coelho
O coelhinho Felizardo tinha uma flauta maravilhosa e sabia tocá-la tão bem que todo mundo queria ouvi-lo. Se havia uma festa, lá ia ele com o seu instrumento para tocar músicas alegres, que divertiam a todos.
Um dia, ele viu tatos doentes nas calçadas das ruas de sua cidade Coelhândia, que ficou com pena daquela gente sofredora e resolveu buscar ajuda para construir um hospital para os doentes pobres.
Saiu levando consigo a extraordinária flauta.
Depois de viajar por vários lugares, passou pela Porcolândia e sobe que as filhas do rei Porco estavam muito doentes.
Que será que tinham as princesas, filhas do rei da Porcolândia?
Contaram ao coelhinho Felizardo que uma das princesas não gostava de comer nada do que sua mãe mandasse que preparassem para ela. A outra princesa, ao contrário, era gulosa e queria comer toda hora, mesmo que sua mãe achasse que ela não deveria comer.
RESULTADO:
A princesa que não comia ficou magra, muito magra, e a princesa gulosa ficou gorda, muito gorda!
Dizia o povo da Porcolândia que a princesa magra era só pele e osso, e que a princesa gorda quase não passava nas portas e mal cabia nas cadeiras do palácio.
Ficando mocinhas, as princesas passaram a viver tristes, chorando pelos cantos do palácio, pois uma delas se olhava no espelho e se via magra, muito magra e a outra, gorda, muito gorda!
E, com aquela tristeza, cada vez a princesa magra comia menos e cada vez a princesa gorda comia mais.
O rei, então mandara anunciar em todo o reino que daria um saco cheio de ouro a quem conseguisse fazer a princesa gorda emagrecer e fazer a princesa magra engordar.
Os melhores médicos do mundo tinham ido ao palácio tentar curá-las. Haviam receitado todos os remédios possíveis, mas com nenhum resultado. A princesa gorda continuava gorda e a princesa magra continuava magra!
Agora, diziam os médicos, a doença das duas já é outra e se chama tristeza.
Ao saber disso, o coelhinho Felizardo, com pena das princesinhas que viviam tão tristes resolveu ir falar com o rei Porco e ofereceu-se para distrair as princesinhas tocando para elas a sua maravilhosa flauta.
O rei não acreditava mais na cura de suas filhas, mas resolveu experimentar e consentiu que o coelho fosse tocar flauta para as princesinhas.
E assim, todas as manhãs durante dias seguidos, com sua flauta maravilhosa o coelhinho Felizardo ia tocar as músicas mais lindas para a princesa gorda que vivia triste a chorar.
E era tal a beleza das músicas e a bondade do coelho era tanta, que a princesa gorda, muito gorda, foi deixando de chorar. Passou a ser alegre, a rir, a brincar e foi ficando magra, magra, mais magra.
A tarde, Felizardo tocava para a princesa magra as músicas mais alegres. E ela, tanta alegria tinha ao ouvir a flauta e ao sentir a bondade do coelhinho que foi ficando mais gorda, gorda, mais gorda.
No fim de certo tempo, as duas princesas foram pesar-se e, para alegria delas e de todos, perceberam que estavam com o peso certo: não eram muito gordas, nem muito magras. Estavam elegantes, bonitas.
O rei, como é natural, ficou contentíssimo e para comemorar o acontecimento, deu uma grande festa, à qual compareceram todos os habitantes do reino da Porcolândia e o coelhinho Felizardo, como convidado especial. Então, no meio da alegria geral, o rei deu ao coelhinho o prêmio que merecera: um saco cheio de ouro.
Acabada a festa, felizardo despediu-se do rei e das duas princesas que não estavam nem muito gordas nem muito magras.
E, carregando a flauta maravilhosa e o saco de ouro, voltou muito contente para sua casa. Chegando a Coelhândia, mandou construir um grande hospital, aonde ia todos os dias tocar flauta para os doentes.
E assim termina a história do coelhinho Felizardo que, com a sua flauta, tinha ganho um saco de ouro que lhe dera o rei da Porcolândia, pai de duas princesas: uma delas gorda, muito gorda e a outra magra, muito magra, mas depois ficaram nem muito gordas nem muito magras.















Anexo 1















Anexo 2














Anexo 3















Anexo 4













Anexo 5
















Anexo 6














Anexo 7
Terceiro Momento:
Após o término da história, perguntar sobre as diversas maneiras de praticar o bem: pedir a cada evangelizando um exemplo.
Vamos ajudar o coelhinho Felizardo a encontrar a sua flauta( labirinto ) anexo.
Vamos montar o coelhinho Felizardo
Material:
· Rolinho de papel higiênico ou garrafa vazia de iogurte, algodão, bola de isopor, cartolina, cola, tesoura, caneta hidrocor.
Confecção: Colar a bola de isopor em um dos lados do rolinho ou..., recortar na cartolina a gravata, as orelhas e as patas, colar as orelhas na bola de isopor, as patas na parte inferior do rolinho ou... e a gravata no pescoço, desenhar olhos e boca na bola de isopor com a caneta hidrocor, fazer o bigode. Pode cobrir as orelhas, patas, o corpinho com bolinhas de algodão. Fazer o rabo do coelhinho colocando uma bola feita de algodão na parte posterior do coelhinho.





















Prece Final:
Fonte: Apostila Jardim da Infância- Coleção 4 da FEB

Photobucket

2 comentários:

  1. Adorei sou estudante de pedagogia e estava pesquisando sobre como despertar a bondade na criança atraves da arte. Obrigada.

    ResponderExcluir
  2. Adorei sou estudante de pedagogia e estava pesquisando sobre como despertar a bondade na criança atraves da arte. Obrigada.

    ResponderExcluir

COMENTE!!!!!